Ernane pode barrar caminhões caso Queiroz Galvão evite diálogo

Prefeitura pretende intervir em impasse sobre a obrigatoriedade de mão de obra local no Contorno
Prefeito se reúne com trabalhadores (Foto: Acácio Gomes/NI)

Por Acácio Gomes

O prefeito de São Sebastião, Ernane Primazzi (PSC), disse nesta quarta-feira (1º) em reunião com uma comissão de trabalhadores que exigem vagas de emprego na empresa Queiroz Galvão, responsável pela construção do Contorno Sul, que vai solicitar informações sobre o número de contratados para o empreendimento, as funções e as cidades de origem. Além disso, segundo ele, uma comissão será criada para se reunir com representantes da empresa e fiscalizar as contratações, com ajuda do Ministério do Trabalho e Emprego.

De acordo com Ernane, se a empresa não se mostrar disposta a dialogar, ele pode tomar medidas mais sérias. “A Prefeitura pode impedir o tráfego de caminhões na Costa Norte. Aí a obra para, mas não queremos esse embate. Queremos dialogar com a empresa para contratação de mão de obra local”.
A decisão veio após manifestação de trabalhadores na sessão da Câmara na noite de terça-feira (30) e na manhã desta quarta, em frente à Prefeitura de São Sebastião. Eles cobram que pelo menos 70% da mão de obra sejam da cidade.

No encontro com o prefeito, os trabalhadores expuseram a situação vivida por mais de 100 trabalhadores. “Estamos trazendo mão de obra de fora e para enganar, essas pessoas estão criando comprovante de residência. Temos uma lista de pelo menos 200 currículos de trabalhadores locais e com experiência e que não são chamados. Não sei para que serve o PAT da cidade, já que quem contrata são os supervisores e diretores”, disse Dinei, um dos líderes do movimento.
Estiveram presentes no encontro, além do prefeito e a comissão, os vereadores Edivaldo Campos, o Teimoso (PSB), Gleivison Gaspar, o Professor Gleivison (PMDB), e Onofre Neto (PHS).

A lei
O prefeito Ernane Primazzi informou também que vai solicitar ao seu departamento jurídico que analise a lei que foi apresentada na Câmara esta semana. A proposta autoriza a Prefeitura a obrigar a contratação de mão de obra local pelas empresas instaladas em São Sebastião. O projeto estabelece em seu artigo 1º que as empresas são obrigadas a contratar e manterem empregados 70% do seu quadro efetivo trabalhadores que tenham, no mínimo, um ano de domicílio eleitoral em São Sebastião.

“Sabemos que juridicamente ela pode ser questionada, mas vamos em frente. Vou melhorar o projeto e vamos convocar uma sessão extraordinária para votação na semana que vem”, disse o prefeito.

Outro lado

Ninguém da empresa Queiroz Galvão foi encontrado para comentar o assunto por meio da assessoria de imprensa.
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário