Projeto de isenção da TPA para carros de S.Sebastião pode ser engavetado

Vereadores querem convencer o prefeito a esperar a decisão final sobre a TPA na Justiça
Cabine da TPA (Foto: PMI/Divulgação)

Por Acácio Gomes

O projeto de lei que prevê a isenção da Taxa de Preservação Ambiental (TPA) em Ilhabela para veículos com placas de São Sebastião poderá ser engavetado até que se tenha uma decisão judicial. Em tramitação na Câmara de Ilhabela desde maio, a proposta pode tomar um caminho diferente da discussão em plenário a pedido dos próprios vereadores.

Uma emenda chegou a ser apresentada ao projeto e previa que a isenção só deveria ser dada aos para trabalhadores e prestadores de serviço que tivessem placa de São Sebastião e que atuavam em Ilhabela. Não poderiam ser incluídos, por exemplo, os que fossem passear no arquipélago.

Porém, a emenda, de autoria da vereadora Maria das Graças Ferreira, a Gracinha (PSD), foi retirada. “Retirei, pois vamos tentar convencer o prefeito de retirar o projeto até que se tenha a decisão final sobre a TPA, que é objeto de ação na Justiça”, comentou.

Atualmente, existe uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN), movida pela Procuradoria Geral do Estado, que deverá passar por análise no Supremo Tribunal Federal, em Brasília. No entendimento da Procuradoria, a isenção não poderia ser feita nem para moradores de Ilhabela. A Prefeitura de Ilhabela recorreu e venceu no Tribunal de Justiça, mas houve outro recurso por parte da Procuradoria em Brasília.

Segundo o procurador da Câmara de Ilhabela, Leandro Fortes, o parecer jurídico ao projeto foi uma recomendação ao Legislativo e Executivo. “A ideia é esperar o julgamento final, para que não se tome uma decisão agora e seja questionado lá na frente”, disse. Porém, de acordo com ele, se houver entendimento que o assunto tem urgência, a sugestão pode ser a assinatura de um convênio.

“Pode ser firmado um convênio entre as prefeituras de Ilhabela e São Sebastião, desde que tenha consentimento e anuência do Ministério Público, para isentar os moradores de São Sebastião. E as justificativas poderiam ser as mesmas: os transtornos causados ao trânsito no continente por causa da fila da balsa”, explicou.

A decisão só deve ser tomada na próxima semana, quando o prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci (PPS), volta de viagem internacional. Ele participa de uma feira de negócios com empresários peruanos, em Lima.


Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário