Bolsa Atleta tem alteração para evitar mau uso do benefício

Vereadores de Ilhabela aprovam emenda para garantir que o dinheiro seja apenas para moradores
 
Imagem: Divulgação


Foi aprovada, na última sexta-feira (26), uma alteração na lei que define as diretrizes para o Programa Bolsa Atleta, em Ilhabela. O objetivo  da mudança, proposta pela prefeitura, é evitar o mau uso do dinheiro público destinado aos esportistas.

O texto final recebeu uma emenda feita pela vereadora Benedita Gonzaga (PTB), que prevê que o esportista contemplado tenha residência comprovada no arquipélago por pelo menos dois anos e que preste contas do uso do valor, que devem ser enviadas trimestralmente pela secretaria de Esportes à Câmara Municipal.

A emenda recebeu a assinatura de todos os parlamentares e foi aprovada por unanimidade. “Acho que precisamos investir em nossos atletas e garantir que o dinheiro seja usado com os moradores de Ilhabela. Tivemos notícias de que cidades vizinhas estão ‘importando’ atletas de outro município e que atletas do município vizinho estariam procurando o Bolsa Atleta de Ilhabela. Eu não vou aceitar isso aqui em nossa cidade”, avisou a professora Dita.

A prefeitura enviou a proposta alegando permitir melhor entendimento para o desenvolvimento do programa. Entre as alterações sugeridas pela administração está a obrigatoriedade de não ser beneficiário por nenhum outro tipo de auxílio esportivo de natureza pública e estar regularmente matriculado em alguma instituição de ensino público ou privado para os atletas de 12 a 20 anos.

Suplementação orçamentária
Ainda na sexta-feira, os parlamentares aprovaram, em primeira votação, o projeto que aumenta o orçamento da prefeitura em R$ 35,4 milhões. Segundo a administração, o intuito do aumento de verba é atender os acréscimos provenientes dos benefícios concedidos recentemente aos servidores públicos, da ampliação do quadro do funcionalismo e para a finalização da obra de construção do novo prédio do Legislativo. Ainda conforme o Executivo, a verba vem do excesso de arrecadação por parte dos royalties do petróleo. O projeto vai passar por uma segunda votação na Câmara antes de voltar à prefeitura.
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário