Servidores de São Sebastião decidem parar no dia 19 de maio

Sindicato reivindica dissídio de 2014 e 2015, que não foi dado pela prefeitura
Reunião realizada nesta quinta (7) (Foto: Alexander César/NI)

Por Acácio Gomes

Em decisão unânime, cerca de 80 servidores decidiram na noite desta quinta-feira (7), em assembleia na sede do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Sebastião (Sindserv), uma paralisação marcada para o próximo dia 19 de maio, a partir das 7h

A medida foi tomada em função da falta de diálogo e acordo entre a categoria e a Prefeitura de São Sebastião sobre o pagamento do dissídio dos trabalhadores, além de 8% no aumento real. 

O Sindserv pede 15,63% de reajuste (8,13% de 2014 e 7,5% de 2015), além do aumento do vale refeição de R$ 16 para R$ 25 e do vale alimentação, passando de R$ 180 para R$ 250.

Segundo a presidente do Sindserv, Audrey Guatura, desde o ano de 2011 o servidor público não tem ganho real. “A categoria não pode ficar a mercê de uma briga entre a Petrobras e a Prefeitura. A justificativa dada é de que o dissídio só será dado se a Petrobras pagar o IPTU ao Executivo. Não podemos esperar uma disputa jurídica”, disse.

Desde o ano passado, segundo ela, o Sindserv briga na Justiça pelo dissídio. “É uma obrigação o pagamento do dissídio pelo menos pelo índice da inflação”.

Atualmente, a Prefeitura de São Sebastião é a maior empregadora da região, com cerca de 3,4 mil servidores (entre efetivos e comissionados).

Procurada pelo Nova Imprensa, a Prefeitura de São Sebastião informou que se manifestará sobre o assunto nesta sexta-feira (8).
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário