Reajuste dos servidores pode causar corte de vale e redução de jornada

Sindicato promete paralisação em 19 de maio caso não haja aumento de 23,63%
Servidores votam por paralisação, na última quinta (7) (Foto: Alexander Cesar/NI)

Por Acácio Gomes

A Prefeitura deve apresentar duas propostas ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Sebastião (Sinserv) para concessão de reajuste exigido pela categoria. A apuração foi feita através de informações da base governista na Câmara da cidade.

A primeira delas seria um reajuste de 14% (referente a 2014 e 2015). Mas para isso, a administração faria um corte de horas extras e reduziria a jornada diária do trabalhador de 8h para 5h59, o que obrigaria também o corte do vale refeição. A partir de seis horas diárias, segundo o Estatuto, o servidor tem direito ao benefício.

A segunda proposta seria de um reajuste de 8,13% de imediato e o restante (7,50%) seria repassado, mas condicionado ao pagamento do IPTU devido da Petrobras para com a Prefeitura, que hoje gira em torno de R$ 70 milhões.

Vale lembrar que o Sindserv pede 23,63% de reajuste (8,13% de 2014, 7,5% de 2015 e 8% de aumento real), além do reajuste do vale refeição de R$ 16 para R$ 25 e do vale alimentação, passando de R$ 180 para R$ 250.

A presidente do Sindserv, Audrey Guatura, disse que ainda não recebeu nada de oficial por parte da administração. “Se recebermos as propostas, vamos colocar em votação aos servidores, mas acho a primeira proposta absurda”, comentou. Ela disse ainda que está confirmada a paralisação dos servidores marcada para o dia 19 de maio, a partir das 7h.

Mudança?
No último final de semana, o prefeito Ernane Primazzi (PSC) disse em entrevista ao Nova Imprensa que não concederia reajuste até que se tenha uma decisão judicial sobre o pagamento devido da Petrobras em relação ao IPTU.

“Hoje, a folha com encargos gira em torno de R$ 18 milhões mensais e se houver o aumento teríamos entre R$ 2 milhões a R$ 2,5 milhões a mais por mês. Espero que os funcionários refresquem a memória, tenham paciência e não se deixem levar por agitadores. Se eu der reajuste, vou ter que fazer uma demissão em massa. Precisamos ter bom senso”, revelou.

Atualmente, segundo o Sindserv, a Prefeitura de São Sebastião conta com cerca de 3,4 mil servidores (entre efetivos e comissionados).
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário