Projeto do Litoral Norte ganha Prêmio da Câmara de Comércio França-Brasil


Tecendo as águas foi o vencedor do primeiro lugar na categoria Preservação e Proteção dos Recursos Naturais
Equipe do Instituto Supereco recebe troféu em São Paulo (Foto: Divulgação)

O Projeto Tecendo as Águas, do Instituto Supereco, que tem sede em São Sebastião, recebeu esta semana, no WTC Trade Center São Paulo, o XIV Prêmio LIF da Câmara de Comércio França-Brasil (CCFB) por suas ações pelo meio ambiente e, em especial, pela conservação dos recursos hídricos do Litoral Norte. Ele foi o vencedor do primeiro lugar na categoria Preservação e Proteção dos Recursos Naturais.

Andree de Ridder Vieira, fundadora do Instituto Supereco e coordenadora geral do Projeto Tecendo as Águas, dedicou o prêmio à comunidade e futuras gerações da região e apresentou as ações realizadas junto às bacias hidrográficas do Litoral Norte.

 “Só nos restam 8% da Mata Atlântica – região considerada pela ONU como umas das mais ricas e ameaçadas do mundo. O Tecendo mergulha fundo para entender como as bacias hidrográficas funcionam com a ajuda da comunidade local. Já capacitamos 4.200 pessoas na região e elas passaram a ser co-gestoras do projeto. Trabalhamos na base criando capacidade técnica nas escolas a partir de cenários locais. Fazemos mutirões de capacitação na área rural e também monitoramento da água. Estamos deixando um legado que é o roteiro turístico Caminho das Águas igualmente construído com a comunidade. Um mundo melhor é possível”.

O Prêmio LIF, cujo nome faz uma homenagem aos ideais da Revolução Francesa - Liberdade, Igualdade e Fraternidade –  tem como objetivo inspirar as empresas a desenvolverem iniciativas em prol das pessoas, da sociedade, da sustentabilidade do planeta e dos negócios. Segundo o Comitê de Sustentabilidade da CCFB-S os desequilíbrios existentes na sociedade estão comprometendo o desenvolvimento sustentável, mas, em contrapartida, também existem iniciativas que mostram que é possível mudar essa realidade.

Na ocasião, o presidente da CCFB, Roland de Bonadona, destacou que 955 cases já concorreram ao Prêmio LIF desde sua criação há 14 anos. “Fomos os primeiros a incentivar as empresas a se mobilizarem para a sustentabilidade e a cuidarem do meio ambiente. Pela qualidade e quantidade de cases percebemos que tem crescido a conscientização das empresas. Nós sentimos, muitas vezes, que as pessoas sabem que têm uma responsabilidade pelo futuro do planeta, mas falta inserir ações individuais e diárias contribuindo de forma permanente para a mudança”.

O Cônsul Geral da França no Brasil, Damien Loras, disse que é impossível negar a influência humana nas mudanças climáticas e que isso pode, inclusive, gerar conflitos entre os países pelo controle de recursos naturais como a água. “O XIV Prêmio LIF chega junto com a COP21 – Reunião para o Clima 2015 – a ser realizada este ano em Paris e cujo objetivo é conter o aumento das temperaturas no planeta e manter um baixo índice de emissão de carbono. A França, por exemplo, é um dos países que menos polui. É responsável por apenas 1% das emissões de gás de efeito estufa do mundo”.

Mais resultados
O Tecendo as Águas foi também eleito entre as "Melhores Práticas de Educação Ambiental e Gerenciamento de Recursos Hídricos de 2014” durante o “XII Diálogo Interbacias de Educação Ambiental em Recursos Hídricos – Água & Energia”. 

A partir de abril de 2015, o Instituto Supereco passou a ter uma representação ativa no Comitê de Bacias Hidrográficas do Litoral Norte (CBH-LN), por meio do engenheiro agronônomo Juliano Hojah que é coordenador de gestão ambiental do Tecendo as Águas.


Recentemente o projeto foi representado no Forum Social Mundial 2015 na Tunísia, o que possibilitou ao Instituto Supereco convite para participar também do COP21 (21ª Conferência do Clima) em Paris, que acontece no final do ano. 
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário