Após campanha, professores de São Sebastião discutem interesses locais

Interesses de docentes vão além do apoio aos professores do Paraná
Professores de São Sebastião  (Foto: Renathá Garcia/Divulgação)
Por Alexander Cesar

Após os protestos dos professores no Paraná, que acabou em confronto com a Polícia Militar (PM) do Estado, docentes de São Sebastião se manifestaram, por meio das redes sociais, em apoio aos profissionais do sul do país. A campanha “Luto Pela Educação”, promovida na última segunda-feira (4), foi aderida por diversos profissionais da área no Brasil e chegou ao Litoral Norte , onde os professores se vestiram de preto para  trabalhar.  

O professor da rede municipal, Lucelmo Lacerda, explica que os professores de São Sebastião mantêm um grupo no Facebook, chamado APROF, onde são discutidos os interesses da categoria, e que os profissionais aderiram à campanha de forma espontânea.  “Nossa rede de diálogo estrutura-se nos ambientes virtuais e o movimento dos professores da rede municipal de São Sebastião que vem surgindo é de caráter horizontal”, diz o docente.

Segundo o professor Lacerda, que representou o grupo APROF em uma entrevista com o Nova Imprensa, além do apoio aos professores agredidos pela PM no Paraná, alguns assuntos são apontados como principais problemas que os professores de São Sebastião enfrentam no momento, como a recente retirada das abonadas dos docentes contratados pela prefeitura da cidade; a falta de reajuste salarial dos últimos dois anos e a falta de um Plano de Carreira (obrigatório desde 2008 e já formulado em 2011), que segundo o professor, leva à instabilidade da carreira.  

Em resposta às abonadas, a Secretaria de Educação disse que os servidores contratados com prazo determinado não têm direito ao abono de faltas prevista no artigo 116 da Lei Complementar Municipal 146/2011. O Sindicato dos Servidores Públicos (Sindserv), por sua vez, disse que irá realizar uma paralisação no próximo dia 19 em retaliação à falta de reajuste salarial da categoria, o que inclui os professores da rede municipal. 
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário