Ernaninho quer TPA em São Sebastião, mas nega ‘revanchismo’ com Ilhabela

Vereador quer cobrança de taxa para carros que fazem a travessia, para cobrir ônus gerados à cidade
Ernane Primazzi (PSC) (Foto: Celso Moraes/CMSS/Divulgação)

Por Acácio Gomes

A polêmica sobre a proposta de criação da Taxa de Preservação Ambiental (TPA) em São Sebastião voltou a discussão na Câmara na sessão da última terça-feira (5), por causa de um requerimento apresentado por Ernane Primazzi, o Ernaninho (PSC). O assunto tem sido alvo de embates entre políticos de São Sebastião e Ilhabela, já que a administração no arquipélago não atendeu o pedido da cidade vizinha para isentar da cobrança os moradores de São Sebastião. Apesar disso, o vereador nega que seja “revanchismo” de sua parte.

O requerimento aprovado sugere à Prefeitura de São Sebastião a criação da TPA. No documento, o vereador questiona se o Executivo pode intervir na criação da taxa a fim de obter recursos que possam viabilizar projetos ambientais. E se é possível que a cobrança seja feita em cabines já existentes.

Ele justificou que por muito tempo se pediu à administração de Ilhabela a isenção da taxa para os moradores de São Sebastião, mas o pedido foi negado. E que o principal motivo para a apresentação do documento, segundo Ernaninho, é que São Sebastião não pode ficar com ônus das enormes filas que são geradas na cidade por conta da travessia de balsa em direção a Ilhabela.

“O vereador não pode criar receitas, por isso fiz a sugestão ao Executivo. Não acho justo o transtorno causado pela fila da balsa. Temos que colocar todo o efetivo de agentes de trânsito, os moradores da Vila Amélia sofrem em toda a temporada. Nossa ideia é criar uma taxa simbólica, mas que possa ajudar a custear, por exemplo, as complicações viárias. E para mostrar que não é revanchismo, proponho que existe isenção para moradores de Ilhabela”, disse.

A proposta, conforme prevê o vereador, é que exista apenas uma cabine instalada na saída da balsa do lado de São Sebastião.

Apoio
Quem comentou também sobre o assunto foi o vereador Jair Pires (PSDB). “Acho justo. E vou além, acho a cobrança da TPA em Ilhabela muito cara”.

Na discussão do requerimento, o vereador Reinaldo Alves Moreira, o Reinaldinho (PSDB), informou que teve uma reunião com o secretário de Governo de Ilhabela. “O secretário prometeu estar junto com o prefeito Colucci em uma reunião em São Sebastião para tratar do assunto com os vereadores”.
O vereador Edvaldo Campos, o Teimoso (PSB) disse ser favorável a cobrança e discordou da isenção para moradores de Ilhabela. “Se lá cobram dos moradores de São Sebastião, por que temos que isentar?”, questionou.

Já o vereador Gleivison Gaspar, o Professor Gleivison (PMDB) ressaltou faltar diálogo no assunto. “Acho que a administração do prefeito Colucci em Ilhabela é excelente e acredito que ele possa rever a questão. Sou adepto do diálogo ainda”.

Solução
Procurado pelo Nova Imprensa, o secretário de Governo de Ilhabela, Luiz Alberto de Faria, o Luizinho, disse que a isenção dos moradores de São Sebastião na cobrança da TPA está em análise.
“Estou cuidando desse processo e vamos buscar uma solução. A análise está sendo feita juridicamente, para que não haja precedentes para moradores de outras cidades também pedirem a isenção. Hoje temos uma situação consolidada da cobrança, então buscamos encontrar instrumentos jurídicos que garantam a isenção”, comentou.


Luizinho confirmou ainda que o projeto, que deve ser encaminhado à Câmara, deverá estar pronto em um mês. “Quando protocolarmos a proposta na Câmara de Ilhabela, vamos entregar uma cópia aos vereadores de São Sebastião”, garantiu.
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

1 comentários:

  1. Pura ciumeira! "...porque os sebastianenses não podemos ter essa mamata adicional?..." Os eleitores sebastianenses deveriam antes de mais nada avaliar quais melhorias ambientais Ilhabela conseguiu com a TPA!!! Alguém sabe?

    ResponderExcluir