Adolescente de 15 anos morre com suspeita de dengue, em Ilhabela

O caso seguiu para investigação da Secretaria de Estado da Saúde

Por Acácio Gomes e Daniela Malara Rossi

Uma menina de 15 anos, natural de Ilhabela, morreu, na noite da última quarta-feira, com suspeita de dengue. Ela estava internada na Santa Casa de Guaratinguetá e não resistiu, após complicações em seu quadro clínico. A Prefeitura de Ilhabela está investigando o caso e divulgou que não é possível afirmar que a morte foi mesmo causada pelo vírus da dengue, já que a paciente sofria de outras patologias.

A menina fazia acompanhamento na Apae e, de acordo com o diretor administrativo do Hospital Mário Covas, Eduardo dos Santos Rosmaninho, seu quadro era bastante complicado. Os exames colhidos na vítima foram encaminhados para o Instituto Adolfo Lutz, em Taubaté, onde serão analisados pela Secretaria de Estado da Saúde. O resultado deve chegar nos próximos dias.

Segundo parentes da paciente, ela foi levada ao hospital da cidade com suspeitas de dengue, mas o vírus não foi confirmado e a família foi orientada a voltar para casa. Após alguns dias, os sintomas pioraram e ela voltou ao Mário Covas, onde ficou internada e precisou ser encaminhada para uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Como não existe este tipo de instalação no hospital municipal, ela foi levada para a outra cidade.


A adolescente, de família tradicional da Praia de Castelhanos, foi enterrada nesta quinta-feira (21), no Cemitério Central, que fica na Vila.

Suspeita em Caraguá

Além de Ilhabela, Caraguatatuba também investiga a morte de um idoso de 78 anos. Benedicto Leite dos Santos, do bairro Jetuba, morreu após dar entrada em uma unidade hospitalar do município. De acordo com informações de familiares, ele teria morrido após complicações em decorrência da dengue. No atestado de óbito consta como causa da morte as seguintes patologias: choque séptico, pneumonia, dengue e senilidade (processo de envelhecimento).

Segundo a Secretaria de Saúde de Caraguá ainda não existe comprovação oficial de que o paciente teve como causa morte principal a dengue. “A morte segue em investigação. Os exames serão encaminhados para o Instituto Adolfo Lutz e a confirmação ou não (de que teria sido dengue) é feita pelo Estado”, disse em nota a administração.   

Em 2015, oficialmente e comprovada por laudos, o Litoral Norte tem duas mortes por dengue hemorrágica, ambas em Caraguá: uma mulher de 39 anos do bairro do Perequê-Mirim e uma senhora de 63 anos do bairro Rio do Ouro.

Em todo o Litoral Norte, já são 7,2 mil casos confirmados de dengue em 2015. Outros 3.087 exames ainda aguardam resultado.
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário