Concessionária assume Tamoios por 30 anos; três pedágios estão previstos

Estrada deverá ter investimento de R$ 3,9 bilhões e 21,6 quilômetros de novas pistas
Rodovia dos Tamoios (Foto: Diogo Moreira/Divulgação)

No último dia 16, o governador Geraldo Alckmin assinou a autorização da transferência da operação da Rodovia dos Tamoios para a concessionária Tamoios, que deverá ficar responsável pela estrada pelos próximos 30 anos, substituindo a Dersa - Desenvolvimento Rodoviário S/A. Estão previstos investimentos de R$ 3,9 bilhões e 21,6 quilômetros de novas pistas, além da implantação de três pedágios.

A empresa assumiu o atendimento aos usuários, a manutenção, a conservação e as obras previstas para o trecho de 85 quilômetros, correspondente ao Planalto e Serra dos Tamoios. Nos próximos anos, a concessionária irá assumir ainda os 33.9 quilômetros dos Contornos de Caraguatatuba e São Sebastião, que estão em fase de construção sob responsabilidade da Dersa.

A expectativa da Administração é de que a medida resulte em obras de modernização das vias, melhora nas operações e inclusão de tecnologia para atendimento ao usuário, além da criação de 2.500 empregos no pico de realização das obras.

Duplicação e pedágios
A concessionária terá até 2020 para concluir a duplicação do trecho de serra, entre o km 60,4 e o km 82, construindo um total de 21,6 quilômetros de novas pistas entre Paraibuna e Caraguatatuba. Serão cinco túneis – sendo um deles de mais de 3,5 quilômetros, o maior do país – e nove viadutos. As rampas da nova pista não deverão ser tão íngremes e haverá menos curvas. As obras estão previstas para inicias no segundo semestre deste ano.


A concessionária não poderá cobrar pedágio no primeiro ano, mas três praças de cobrança devem ser implantadas: no km 15,7 (R$ 3,00); no km 56,6 (R$ 5,30) e no Contorno de Caraguatatuba (R$ 2,10). A empresa poderá cobrar a taxa após a entrega de 6% da duplicação e conclusão do Programa Intensivo Inicial (PII), que prevê melhorias como substituição de dispositivos de segurança avariados, operação tapa buraco, complementação e restauração da sinalização, instalação de três bases de Serviço de Atendimento ao Usuário provisórias, implantação do Centro de Controle Operacional (CCO) da rodovia, iluminação do trecho de serra entre o km 64 e o km 80 e alargamento do acostamento de 10,2 metros para 14 metros em sete pontos da via, entre outras.
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário